Breve balanço do Cine Odé – Cinema no Terreiro:

Vídeo resume a experiência da Mostra de Filmes Cine Odé – Cinema no Terreiro:

Registro que resume a experiência da Mostra de Filmes Cine Odé – Cinema no Terreiro. De janeiro até julho de 2016, a mostra realizou doze sessões de cinema no Terreiro de Odé, em Ilhéus, exibindo filmes diversificados: de clássicos de nossa cinematografia a vídeos descobertos pelos curadores Camele Queiroz e Fabricio Ramos em pesquisas no Youtube. Ficções e documentários, animações, curtas e longas, sempre filmes com temáticas que valorizam o conhecimento e a reflexão acerca das religiões de raízes africanas e indígenas. O Cinema foi ao Terreiro e tal experiência revelou um pouco de como o nosso cinema viu e vê a cultura dos Orixás e as religiões afroindígenas.

O Cine Odé – Cinema no Terreiro é uma realização do Bahiadoc – Arte Documento e teve apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia, através do edital público de Agitação Cultural 2015 da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Sobre a Mostra e fotos das sessões:

Captura de Tela 2016-07-27 às 19.41.56
Fotos das sessões do Cine Odé.

A Mostra de Filmes Cine Odé – Cinema no Terreiro findou o seu ciclo, quem sabe, o primeiro de outros que virão. De janeiro até julho desse ano, a mostra realizou doze sessões no Terreiro de Odé, em Ilhéus, exibindo filmes diversificados: de clássicos de nossa cinematografia a vídeos descobertos pelos curadores Camele Queiroz e Fabricio Ramos em pesquisas no Youtube. Ficções e documentários, animações, curtas e longas, sempre filmes com temáticas que valorizam o conhecimento e a reflexão acerca das religiões de raízes africanas e indígenas. O Cinema foi ao Terreiro e tal experiência revelou um pouco de como o nosso cinema viu e vê a cultura dos Orixás e as religiões afroindígenas.

Da curadora Camele Queiroz:

é uma riqueza promover o encontro do cinema com um público dele afastado por diversas razões, e ver esse público encontrar a arte num lugar em que está habituado a se relacionar com o sagrado, com as forças da natureza e com as divindades, e ao mesmo tempo ser um lugar de resistência e afirmação, e ver que a cada sessão esse público demonstra profunda identificação com a arte e a expressão cinematográfica, discutindo os filmes à luz de suas próprias experiências de vida e de Fé.

Agradecimentos especiais a Maria Marta Soares dos Santos, liderança cujo esforço e trabalho na luta pela memória de Pedro Faria de Souza, fundador do Terreiro de Odé, resgatou o Terreiro de uma grave situação de abandono e degradação. Agradecimentos também aos realizadores que disponibilizaram seus filmes para as exibições; ao público que compareceu às sessões; a todos que colaboraram de diferentes formas para a realização do projeto. Um salve aos convidados que participaram, tornando as conversas com o público ainda mais ricas. Obrigado aos convidados José Nazal, Lourival Pereira Piligra, Daniela Galdino, Michelle Raic Mansur, Karine Fênix, Mãe Carmosina, Makrisi e a todos os demais que compareceram. Os realizadores do Cine Odé agradecem também a Lu Leite, professora, pela hospitalidade e apoio!

Captura de Tela 2016-07-27 às 19.43.13Do coordenador da mostra e curador Fabricio Ramos:

Esperamos que o Cine Odé, dentro de seus limites, alcance nas pessoas que participarem o mesmo que alcança em nós: não somos adeptos de nenhuma religião, mas nos sentimos gratificados de conhecer e vivenciar, em alguma medida, a riqueza e os mistérios dessas tradições religiosas, que são vívidas, experienciais. Acreditamos que as pessoas não nascem para ser intolerantes e desrespeitosas. Como dizia Pasolini, se referindo aos jovens que se comportavam como fascistas:  “Talvez uma simples experiência diversa na sua vida, apenas um simples encontro, tivesse bastado para que seu destino fosse outro”. Acho que a arte, e o Cinema, são capazes de promover, de favorecer, esse encontro singelo e transformador. Se o Cine Odé tem algum papel, é esse: o de reconhecer o valor desses encontros e de apostar no cinema como um encontro.

Visite o blog Oficial do Cine Odé e confira informações gerais e galeria de fotos: https://cineodeblog.wordpress.com/ e a página da Mostra no Facebook, para os usuários da rede social. O Cine Odé – Cinema no Terreiro teve o apoio financeiro do FCBA – Fundo de Cultura da Bahia e da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através de edital Público realizado em 2015.

Sete perguntas sobre a mostra Cine Odé – Cinema no Terreiro

Leia a entrevista, feita por Felipe Ferreira para o site CinemAção, com os realizadores e curadores do Cine Odé – Cinema no Terreiro, Camele Queiroz e Fabricio Ramos.[Clique aqui para ler a entrevista]. A entrevista, publicada originalmente naquele site no dia 14 de abril de 2016, aborda as experiências de Fabricio e Camele com o Terreiro, reflete sobre a intolerância religiosa e outros temas ligados ao Cinema e mesmo à Política. As respostas foram elaboradas conjuntamente pelos curadores e enviadas ao site CinemAção por email.

Fotos das sessões ao longo dos seis meses de mostra (clique em cada conjunto de imagens para ampliá-lo):

Captura de Tela 2016-07-27 às 19.41.19 Captura de Tela 2016-07-27 às 19.42.18 Captura de Tela 2016-07-27 às 19.43.29 Captura de Tela 2016-07-27 às 19.43.45 Captura de Tela 2016-07-27 às 19.44.08Captura de Tela 2016-07-27 às 19.39.55 Captura de Tela 2016-07-27 às 19.41.34 Captura de Tela 2016-07-27 às 19.44.08 Captura de Tela 2016-07-27 às 19.44.26

JULHO

A última edição do Cine Odé, que seria em junho, será no início de JULHO: dias 2 e 3 de julho (sábado e domingo, respectivamente), sempre às 17h. Confira os filmes:

Sessões de Julho Cine Odé.png

Saiba mais sobre os filmes e sobre os convidados especiais: clique aqui.

MAIO

As sessões de MAIO acontecem nos dias 28/5 e 29/5 (sábado e domingo, respectivamente), sempre às 17h.

banner maio

No sábado (28), serão exibidos os curtas “Candomblé: Paz e Fraternidade“, dirigido e produzido por Mirella Lima; e “Exu – Além do Bem e do Mal”, dirigido por Werner Salles Bagetti.

No domingo (29), será exibido o filme “Orí”. Lançado em 1989 pela cineasta e socióloga Raquel Gerber, o filme aborda a reconstrução da identidade negra no Brasil, documentando os movimentos negros brasileiros entre 1977 e 1988.

Como nas sessões anteriores, o Cine Odé traz convidados especiais para abrirem a roda de conversa após as exibições dos filmes. No sábado (28), a professora Karine Santos será a convidada especial. No domingo (29), o convidado especial será Lourival Piligra, professor, poeta e pesquisador.

LEMBRETE: A entrada é gratuita. Para facilitar o acesso ao Terreiro de Odé, local da Mostra, o Cine Odé oferece um veículo para levar e trazer o público até o ponto de ônibus próximo. Para informações ligue: (73) 98110-5773.

ABRIL

Em ABRIL as sessões aconteceram nos dias 30 de abril (sábado) e 1 de maio (domingo). Confira a galeria de fotos.

cine ode abril

 

MARÇO

As sessões do Cine Odé de março aconteceram nos dias 26 e 27, sábado e domingo, como sempre às 17h. A convidada especial foi Michelle Raic Mansur, historiadora pesquisadora de temas relacionados à religiosidade e matriz africana.

OS FILMES DAS SESSÕES DE MARÇO:

cine odé março

FEVEREIRO

Em fevereiro, as sessões do Cine Odé aconteceram nos dias 27 e 28 (sábado e domingo, respectivamente).

Foram exibidos, no sábado, os curtas “Abá”, de Raquel Gerber; e “A Umbanda é Mogibá”, Adilene Cavalheiro e Carlos Carvalho Cavalheiro. Essa sessão contou com a presença de José Nazal, profundo estudioso da história religiosa da cidade de Ilhéus. No domingo, dia 28, será exibido o longa “A Cidade das Mulheres”, de Lázaro Faria. Saiba mais sobre a edição de fevereiro: clique aqui.

JANEIRO

NOTÍCIA: Sobre a primeira sessão, a de JANEIRO, do Cine Odé – Cinema no Terreiro. CLIQUE AQUI.

SOBRE A MOSTRA CINE ODÉ

De janeiro até junho de 2016, sempre no último fim de semana de cada mês (aos sábados e domingos), o Bahiadoc e o Terreiro de Odé, em Ilhéus, apresentam a mostra Cine Odé, que exibirá gratuitamente diversos filmes entre curtas e longas metragens, cujas temáticas se ligam à valorização e ao conhecimento das culturas religiosas brasileiras de matrizes africanas e indígenas.

Sobre a Mostra: clique aqui.     Programação: clique aqui.

CARTAZ

Anúncios